Malcolm Morley
Ano, local de nascimento 1931, Array
Depois de uma infância perturbada, em particular devido à guerra, e de uma breve estadia na prisão, Malcolm Morley estudou na Camberwell School of Arts e, depois, no Royal College of Art (1955–1957). Emigrou, a seguir, para os Estados Unidos, onde se apaixonou pela pintura de Barnett Newman Andy Warhol e Roy Lichtenstein, convertendo-se a uma espécie de «hiper-realismo». As suas obras são, então, muitas vezes feitas a partir de projeções fotográficas, sempre trabalhadas com o pincel. Morley distinguiu-se sempre daquilo a que chamava a «matilha foto-realista». Depois da dita fase hiperrealista, passou a uma pintura que qualificaria como «fidelity paintings» (pinturas fiéis), insistindo na importância do modelo. Sobre uma das suas obras, diz: «Tudo o que tentei fazer foi copiar esta fotografia.» Em 1968, faz um quadro a partir de um cartaz de Vermeer, do Metropolitan Museum de Nova Iorque. A partir de 1975, Morley desenvolve uma nova técnica: passa a executar as suas pinturas a partir de aguarelas previamente realizadas e recorre a temas da mitologia grega ou a cenas mediterrânicas. Em 1984, Morley obtém, em Londres, o primeiro Turner Prize.
J-FC
Obras