Maria José Aguiar
Ano, local de nascimento 1948, Portugal
Artista plástica, Maria José Marinho de Aguiar nasceu em 1948, em Barcelos. Licenciou-se pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto onde, mais tarde, começou a lecionar. Realizou a sua primeira exposição individual em 1973, na Galeria Alvarez, Porto. Maria José Aguiar é uma artista que assume uma conceção primária e uma visão brutal em todos os elementos que constituem a linguagem pictural utilizada. Na sua pintura o impulso é a sua maneira de se exprimir, de manifestar o próprio ser, exaltando os seus desejos de mulher de um modo direto e abrupto. Os elementos da linguagem que põe em confronto são os que se revelam na realização instintiva. É uma pintura física onde não há lugar para a intelectualização. O sexo é uma constante temática na sua obra assim como o recurso à citação de outros artistas, nomeadamente nas obras que designou por camuflagens, a partir de 1981. Aliás, foi num quadro deste mesmo ano que Maria José Aguiar pegou e repintou quando, em 1987, foi convidada pela crítica Sílvia Chicó a participar numa exposição de homenagem a Amadeo de Souza-Cardoso. O elogio que a mesma crítica teceu a este quadro resume toda a obra desta artista: "Camuflagem é (...) um conjunto de citações em que se reconhecem, entre outros, sinais de Alan Davie, de Vialat, numa explosão de euforia e estridência cromática que nos remete aos tempos da pop art, mas simultaneamente nos apresenta afinidades com esse aspeto único da arte popular portuguesa, e sobretudo a nortenha, uma arte de excesso, de sobreposição de enfeites e de enorme vibração, que, como sabemos, foi determinante para a pintura de Amadeo, de Viana e do casal Delaunay. Talvez nenhum outro quadro tenha captado esse clima de festa nortenha que imediatamente nos evoca o prodigioso fogo de artifício, chuva barroca de sensações cromáticas que a arquitetura e os trajes complementam".
Obras
6.jpg
1986