Hagamatana II
Data 1967
Técnica Polímero e polímero fluorescente sobre tela
Dimensões 305.4 x 458 x 7.5 cm
ID Inventário UID 102-554
554.jpg
No início do ano de 1967, Frank Stella inicia a série Protractor [Transferidor], que, durante três anos, o vai levar a pintar três versões diferentes de trinta e uma configurações, ou seja, noventa e três quadros, quase todos de dimensões gigantescas. Afirma o seu caráter decorativo através de efeitos de arabescos e de cores. Servindo-se da curva pela primeira vez, utiliza um módulo baseado num círculo de três metros de diâmetro. A obra é dividida em cinco «estruturas», cada uma limitada por uma banda colorida exterior que cobre a rede subjacente de curvas que se entrecruzam. As quatro bandas de cor curvas na parte superior pertencem simultaneamente a essas «estruturas» e ao jogo de curvas. O pintor joga com essa ambiguidade para confundir o olhar do espetador. A base desses muros de cores é reforçada pela horizontal na parte de baixo do quadro. Cada obra começa por ser cuidadosamente desenhada numa escala pequena, com a ajuda de um transferidor (daí o nome da série), antes de ser executada pelos assistentes do pintor.
Estas pinturas devem os seus nomes às antigas cidades da Ásia Menor que o pintor visitou durante uma viagem em 1963 (tendo-se interessado muito pela arte islâmica): assim, Hagmatan é o antigo nome da cidade de Hamadan, atualmente no Irão.
AC
Leo Castelli Gallery, Nova Iorque; adquirido na Sotheby’s, Nova Iorque, 1 de março de 1995.