Sem título (Pour 120 Journées de Marquis de Sade)
Data 1943
Técnica Pastel sobre papel sobre cartolina
Dimensões 95 x 80 cm
ID Inventário UID 102-368
368.jpg
Em cima, à direita, um órgão munido de uma boca monstruosa, com dupla dentição superior, devora um outro. Mais abaixo, pende uma cabeça cabeluda, pertencendo a um membro distinto que se dilui noutras formas vivas, difíceis de qualificar como humanas. O subtítulo do desenho Pour les 120 journées du marquis de Sade, evoca Os Cento e Vinte Dias de Sodoma, do Marquês de Sade, de que não existe uma edição ilustrada por Matta. Tal como todos os surrealistas, e mais do que grande parte deles, Matta era sensível à leitura do célebre marquês. A 2 de dezembro de 1959, alguns dias antes da inauguração da exposição EROS (oitava exposição internacional do surrealismo, na galeria Daniel Cordier), Matta, que acaba de reatar com o grupo surrealista, é convidado juntamente com os amigos a assistir a uma performance de Jean Benoît, em casa da poetisa Joyce Mansour, em Paris. Esta performance, intitulada Exécution du testament du Marquis de Sade [Execução do testamento do Marquês de Sade], celebra o centésimo quadragésimo aniversário da morte do marquês. No decurso de um Grand cérémonial, Benoît marca o peito com um ferro em brasa, em nome do divino marquês. Matta apodera-se de imediato do ferro e marca-se também.
AC
Adquirido ao artista por Max Clarac-Sérou; The Mayor Gallery, Londres; adquirido em 2000.