Ser e Estar. Vídeos da Coleção Berardo

Ser e Estar. Vídeos da Coleção Berardo
Exposição temporária
Inauguração: 
19 Maio 2017 - 18h
19/05/2017
- 15/10/2017
Ser e Estar. Vídeos da Coleção Berardo
Exposição temporária
Inauguração: 
19 Maio 2017 - 18h
19/05/2017
- 15/10/2017
Corpo de texto: 

Nesta exposição apresentamos uma seleção de oito vídeos da Coleção Berardo que foram adquiridos entre 2007 e 2011.

Os artistas aqui apresentados, Caetano Dias, Cristina Mateus, Jakub Nepraš, Laurent Grasso, Maurício Walter & Dias Riedweg, Vasco Araújo, Vladimir Nikolic e Zoran Naskoyski questionam a nossa realidade, cada vez mais complexa, e o papel da própria arte dentro dessa realidade, propondo-nos uma reflexão sobre os problemas e as questões do mundo em que vivemos.

Todos estes artistas têm como denominador comum a utilização do vídeo como ferramenta criativa e meio mais eficaz de comunicação entre artista e público.

Esta prática artística, que teve início nos anos de 1960, tem tido um enorme desenvolvimento tecnológico e, ao apropriar-se da tecnologia digital nas últimas décadas, alargou indiscutivelmente o seu leque de possibilidades.

Podemos dizer que o vídeo é hoje um meio privilegiado para absorver e reter toda a informação, no mundo atual cada vez mais cheio de estímulos e ruídos.

Primeiro, porque nos oferece a informação de forma auditiva e visual, tornando-a mais fácil de ser digerida e armazenada. Segundo, porque o vídeo nos conta histórias como nenhum outro formato, permitindo unir informação com emoção e reunir figuras humanas, vozes e movimentos. Tudo isso imita a vida e gera um enorme envolvimento e empatia.

Melhorar o mundo deixou de ser uma opção para estes artistas, que tentam apenas formar um novo mundo através da sua capacidade crítica e de reflexão, que se expressa com novos padrões estéticos, colocando questões básicas sobre a nossa existência e o nosso lugar no mundo atual, que têm urgência em ser respondidas, para que possamos compreender e encontrar o significado das nossas vidas.

Num período de convulsões sociais e de insegurança como o nosso, que abandonou todos os esquemas e sistemas universais, a arte já não proclama verdades incontestáveis, não faz afirmações, faz perguntas. É este o desafio e a reflexão que os artistas presentes nesta exposição nos propõem através das questões conceptuais que colocam e que nos permitem discutir as suas ideias e poéticas.

 

Rita Lougares
Curadora da exposição