Apresentação do livro "A Palavra Imperfeita", de David Santos, por Pedro Lapa

Apresentação do livro "A Palavra Imperfeita", de David Santos, por Pedro Lapa
09/10/2018
Corpo de texto: 

O livro "A Palavra Imperfeita", de David Santos, será apresentado por Pedro Lapa no dia 9 de outubro de 2018, terça-feira, pelas 19h00, no Auditório do Museu Coleção Berardo, com entrada livre. 


"David Santos, no curso destas duas décadas, tem sido explícito nas referências a um pensamento pós-estruturalista da história da arte e do domínio filosófico. Longe de se refugiar num inominado território sob pretexto de independência e originalidade, que sabemos ser marca da ausência de ideias, convoca abertamente as problematizações desses historiadores e críticos do círculo da October para estabelecer rearticulações e produzir significações suscetíveis de ativar as potencialidades críticas que efetivamente aprecia na leitura das obras que elege. Nestes seus escritos torna-se notório o privilégio de uma implicação com a dimensão social e política do fazer da arte. Diria mesmo que estas convocam um horizonte frente ao detalhe de cada crítica. Como afirma a propósito de uma fotografia de João Tabarra, «sempre imprudente no seu propósito e aventura, essa vontade de pegar na bandeira e continuar a marcha constitui hoje, como sempre constituiu, a matriz de toda a ação humana, a força e o motor das conquistas e das derrotas que fazem não apenas uma imagem, mas um património comum».

Pedro Lapa"

 

Biografia / David Santos

Historiador de arte e curador de arte moderna e contemporânea. Doutorado em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra. É atualmente Subdiretor-Geral do Património Cultural. Foi Curador-Geral da BF16; Diretor do Museu do Neo-Realismo de 2007 a 2013 e Diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado de 2013 a 2015. Autor de diversos estudos sobre arte publicados em catálogos e volumes coletivos, publicou ainda “Marcel Duchamp e o readymade – Une Sorte de Rendez-vous” (Assírio & Alvim, 2007) e “A Reinvenção do Real – Curadoria e Arte Contemporânea no Museu do Neo-Realismo”, (Documenta, 2014). Foi distinguido em 2015 com o Prémio (ex aequo) de Crítica e Ensaística de Arte e Arquitetura – AICA/FCC, e ainda com o Prémio APOM de Investigação. É docente convidado do ensino superior na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa  Foi crítico de arte nos semanários “Já” (1996), “O Independente” (1997-2000), e nas revistas “Arte Ibérica” (1997-2000), “Artecapital.net” (2006-2007) e “Arqa – revista de arquitectura e arte” (2000-2013).