White Aphrodisiac Telephone
Data 1936
Técnica Técnica mista
Dimensões 20 x 30 x 15 cm
ID Inventário UID 102-149
2._copyright_25.jpg
A primeira representação de um lavagante servindo de auscultador de telefone surge em 1935, num artigo da American Weekly (Nova Iorque, 17 de março), intitulado «New York as Seen by the Super-Realist Artist, M. Dali». O objeto, com um verdadeiro lavagante vivo, terá sido certamente apresentado na então recente exposição individual do pintor na Julien Levy Gallery. Em contrapartida, não figurará na exposição de objetos surrealistas, na galeria Ratton, em Paris, em 1936. Será necessário esperar por 1938, para ver surgir uma versão com um lavagante em plástico. Esta versão é realizada para o poeta inglês Edward James, afilhado do rei de Inglaterra, que terá sido um dos maiores mecenas dos surrealistas, em particular de Dalí, Leonora Carrington, Man Ray, e René Magritte, tendo financiado a revista Minotaure. James, que sustenta Dalí durante dois anos, encomenda-lhe a realização, para a sua residência londrina de Wimpole Street, de um canapé com a forma dos lábios de Mae West e telefones em forma de lavagante. Dalí manda fazer dez exemplares desse telefone à empresa Green & Abbott, segundo duas versões: quatro em cor, com um telefone preto e lavagante castanho avermelhado (The Tate Modern, Londres; The Edward James Foundation, Chichester; Das Deutsches Postmuseum, Frankfurt; The National Gallery of Australia, Camberra) e seis em branco (The Edward James Foundation, Chichester; Boijmans Van Beuningen Museum, Roterdão; The Minneapolis Institute of Art, Minneapolis; The Salvador Dalí Museum, St. Petersburg, Flórida; The Johannesburg Art Gallery, Joanesburgo; Museu Coleção Berardo, Lisboa).
Este torna-se um dos objetos emblemáticos do surrealismo, correspondendo com exatidão à fórmula de Lautréamont, que os surrealistas subscrevem: «o encontro fortuito de um guarda-chuva e uma máquina de costura numa mesa de operação». É apresentado, pela primeira vez sob esta forma, na Exposition internationale du surréalisme [Exposição internacional do surrealismo], na Galerie Beaux-arts, em Paris, em 1938.
AC
Edward James; The Edward James Foundation, Chichester; The Mayor Gallery, Londres; adquirido em 1999.