Andreas H. Bitesnich, Deeper Shades. Lisboa e Outras Cidades

Andreas H. Bitesnich, Deeper Shades. Lisboa e Outras Cidades
Exposição temporária
Inauguração: 
19 Fev 2020 - 19h
20/02/2020
- 05/09/2020
Piso: 
-1
Curadoria: 
João Miguel Barros
Andreas H. Bitesnich, Deeper Shades. Lisboa e Outras Cidades
Exposição temporária
Inauguração: 
19 Fev 2020 - 19h
20/02/2020
- 05/09/2020
Piso: 
-1
Curadoria: 
João Miguel Barros
Corpo de texto: 

OLHAR A CIDADE

Andreas H. Bitesnich tem vindo a construir um trabalho sistemático e coerente sobre cidades relevantes. Começou em 2011 com "New York". Seguiu-se, em 2012, "Tokyo" e, em 2013, "Paris". Depois, em 2015, "Vienna". Finalmente, em 2017, "Berlin". Chegou agora a vez de "Lisboa", uma cidade periférica na Europa, mas central no Mapa-Múndi ocidental.
O seu olhar não é contemplativo, circunstancial; é, antes, crítico e transformador. Apossa-se de cada um dos lugares que visita para os poder reinterpretar. Nessa medida, a fotografia de Andreas H. Bitesnich não é neutra, porque não tem a pretensão de representar fielmente o real.
O seu trabalho equivale à leges artis de um cirurgião. Retalha a cidade em pequenos detalhes e isola pedaços de lugares ou momentos humanos como se fossem peças de um puzzle desgarrado, mas que, no final, acabam por constituir um todo coerente. Não há outro modo, aliás, de agarrar a cidade sem ser dessa forma fragmentária e, assim, melhor mostrar os seus dramas e alegrias, os seus mistérios e esplendores. Para conseguir esse propósito, a opção formal adoptada ajuda a compor a mensagem: as fotografias são predominantemente monocromáticas, sem cores de suporte, e de uma densidade eloquente.
De algum modo, o olhar de Andreas H. Bitesnich transporta-nos para uma geografia nova, onde o mundo se projecta a partir de representações que só os mais atentos conseguem alcançar.

As fotografias de Andreas H. Bitesnich sugerem o recolhimento, uma certa melancolia, um grande intimismo, transformando por vezes as grandes metrópoles em pequenas aldeias, nem sempre habitadas, mas, por norma, ricas de sentimentos e emoções.
Andreas H. Bitesnich, com o seu projecto sobre Lisboa (e sobre as outras cidades), permite-nos entrar num caleidoscópio criado a partir de um olhar rejuvenescido, revelando uma outra dimensão sobre o que nos rodeia. As emoções que sentiu ao olhar para Lisboa fazem parte do seu património e da riqueza da sua essência de artista, e a exposição do Museu Coleção Berardo dá-nos a possibilidade de as partilharmos, numa viagem sem horizontes ou preconceitos.

João Miguel Barros
Curador

Merchandising:
Portugal Museum Store /
Museu Berardo