Julian Opie. Obras Inéditas

Julian Opie. Obras Inéditas
Exposição temporária
Autor(es): 
Julian Opie
Inauguração: 
18 Mar 2020 - 19h
19/03/2019
- 30/08/2020
Piso: 
0
Julian Opie. Obras Inéditas
Exposição temporária
Autor(es): 
Julian Opie
Inauguração: 
18 Mar 2020 - 19h
19/03/2019
- 30/08/2020
Piso: 
0
Corpo de texto: 

Julian Opie é considerado um dos mais importantes artistas contemporâneos do mundo. As suas obras são imediatamente reconhecidas pela linguagem formal distinta e pela simplicidade da representação dos retratos, figuras e paisagens, resultado de alterações digitais. Nos seus trabalhos, o tratamento estilizado dos retratados — pintados em cores sólidas, com contornos negros e espessos para as feições — tem inspiração na arte, no design e na linguagem, bem como em gravuras japonesas, em retratos dos séculos XVII e XVIII, em silhuetas do século XIX, em bustos romanos e na arte egípcia antiga. Opie consegue trazer todos estes géneros artísticos consagrados para o século XXI.
Esta é a sua primeira exposição individual em Lisboa. O artista procurou alargar o espaço expositivo em todas as direções possíveis, incluindo no seu projeto a praça em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, os pátios e jardins interiores do CCB e as galerias dedicadas à arte contemporânea do Museu. A maioria das obras que se apresentam no Museu Coleção Berardo foram produzidas especificamente para esta exposição e galeria, permitindo tirar partido não só das paredes, de oito metros de altura, como também do teto, ainda mais alto. As pessoas são o tema central da exposição, retratadas de várias formas e com vários materiais; ora estáticas, ora em movimento; ora pintadas, ora esculpidas. Também há lugar para alguns edifícios e animais, por forma a alargar a temática e desenvolver o assunto. Na segunda sala, diferentes animações de computador usam LED intermitente para mostrar pombos estilizados que nos lembram hieróglifos, pulando sem rumo e saltando de uma tela para a outra. Para a última sala, foi produzida uma instalação gigantesca que, com inspiração na belíssima Torre de Belém, nos remete para a arquitetura manuelina.

Rita Lougares
Diretora artística